quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A MEIDA QUE AFINAL É MAIRA E MUITOS PANOS

Preparar Setembro é a razão pela qual as últimas semanas em Bissau, antes de vir de férias no fim de Julho, são demasiado trabalhosas. Este ano preparar Setembro não significava apenas a época de admissão e a época de exames de recurso na FDB. Comprometemo-nos a inscrever a Meida na escola e as inscrições eram em Julho, as matrículas serão em Outubro. Era preciso actuar rapidamente sob pena de mais tarde não haver vaga.

A inscrição implicava a entrega da cópia de certidão de nascimento, fotografias tipo passe e o pagamento. É aqui que começa mais uma aventura guineense.

Afinal, a Meida embora crescidinha não tinha ainda sido registada. O único documento que tinha era um cartão de vacinas. A primeira ida aos Serviços de Identificação e Registo Civil do Bairro da Ajuda foi uma tentativa frustrada para registar a menina. Tinha pedido ao Eliseu para me acompanhar e o funcionário do registo, depois de eu dizer que queria registar aquela criança, olhou para os três e perguntou com ar desconfiado: Quem são os pais? Não me ri e disse apenas que não estavam. Era imperativo que eles fossem e por isso pedi à avó que os avisasse que viessem o mais rápido que pudessem para Bissau.

Nesse dia fomos apenas tirar as fotos tipo passe da Meida. Fiquei com a impressão que era a primeira vez que lhe tiravam fotos sem ser as minhas digitais, o que me fez anotar para revelar algumas fotos digitais que tenho dela para levar em Setembro.
Segunda tentativa nos serviços do registo civil, no dia seguinte, a meio da manhã. Mais uma missão abortada pois era tarde demais. Pagámos o impresso que o funcionário iria preencher mas tínhamos que voltar no dia seguinte às 8:00h da manhã.

À terceira é de vez, e desta vez também foi, mas não sem algumas peripécias. No boletim de vacinas, o único documento comprovativo da existência da menina até então, o seu nome escreve-se Maira, a sua mãe apesar de dizer que se chama Sábado e todos a conhecerem como tal, no único documento oficial que possui, a cédula pessoal (não tem BI) chama-se Rutte, o sobrenome de um dos avós estava escrito de forma diferente no documento oficial do pai e no boletim de vacinas dela. Ultrapassados todos os obstáculos ficou registada com o nome de Maira Mebum Sanhá, nascida a 28 de Julho de 2002, filha de Mebum Sanha e de Rutte Sanhá.

Voltei a Portugal para um período de férias e cheguei com a sensação de uma primeira fase de missão cumprida, e cheia de panos para a Lena, que estava muito feliz ontem com as novidades e os resultados obtidos. 157€ em pouco mais de um mês que darão para a inscrição e matrícula da Maira e para os cursos de informática da Menô e da Ondinha. Não tenho dúvidas que rapidamente conseguirá o suficiente para as propinas deste ano.
Modéstia à parte os novos panos vindos da Guiné-Bissau são ainda mais bonitos e o trabalho da Lena, embora não tivesse dúvidas, agora pude comprovar ao vivo que é fantástico e muito perfeitinho. É assim o meu novo porta-moedas Guiné-Bissau.

Obrigada Lena!

Parte da família da Maira (pai, mãe, Maira e a irmã mais nova, Rosária)