quinta-feira, 15 de outubro de 2009

ÁRVORE É PÉ-DI-MANGO

O início de um sonho
Quando eu e a Lena decidimos que a Maira dos olhos azuis seria a primeira menina a concretizar um sonho feito de panos africanos, apesar de toda a vontade, temíamos várias coisas. Uma delas era a adaptação da Maira à escola escolhida. Em parte porque fiquei com a impressão que muitos dos meninos que iriam para a 1ª classe naquela escola já lá tinham frequentado a pré. A Maira não falava nada em português, entendia pouco, ou quase nada, do que lhe dizia em português, parece-me, nunca tinha visto um livro nem de histórias infantis, nada com letras, números, bonecos.

Ainda antes de partir para férias, pedi ao Eliseu (um post sempre adiado), que ensinasse algumas coisas à Maira, a falar um pouco mais de português, a tentar conhecer algumas letras e números. Não lhes deixei mais que um bloco de notas, caneta e lápis de carvão. Era o que havia aqui naquele momento, no meio das pressas de mais uma partida.

O início das aulas na Escola Privada Portuguesa Professor Doutor Cavaco Silva estava previsto para dia 5 de Outubro.

Como todos os anos, o regresso em Setembro foi acompanhado de muita chuva de trabalho (e de chuva real também) mas, a três semanas da data prevista para o início da escola, as lições da Maira mudaram-se aqui para casa. Foi num domingo que fui buscar a Maira para vir a minha casa pela primeira vez.
Os primeiros momentos foram de deslumbramento. Mostrei-lhe a mochila, os livros, cadernos, lápis e canetas de cor. Tentei explicar-lhe tudo ao mesmo tempo. Mostrei-lhe a casa e penso que o que achou mais fascinante foi a casa-de-banho. Nos dias que se seguiram ia lá pelo menos três vezes, em uma ou duas horas no máximo que aqui passa de cada vez. A primeira vez expliquei-lhe, depois passei a ouvir sempre o puxar do autoclismo e o abrir de torneiras.
Explico: a casa da Maira não tem casa-de-banho. A Maira e outras meninas, como ela e mais velhas, vão buscar água em bacias todo os dias para se lavarem, na rua, à porta de casa.
Foi na “loja do chinês” que desencantei estes livros, que parece que têm resultado bem para o começo.
Primeira lição da Maira, a letra A.

Antes de mais eu não fazia ideia do que estava a fazer. Uns dias mais tarde, o Osvaldo já aqui por casa, disse: Não se usa esse método de letra por letra, é por sílabas.
A minha boa-vontade para ensinar uma criança é maior do que a minha formação para esse efeito, confesso.

Mas também suspeitei do método e dos materiais logo na 1ª lição.
A letra A, “A” grande, “a” pequeno, palavras começadas por A.
Primeira imagem. O que é?, pergunto e aponto, e obtenho como resposta: “Pé-di-mango”.
Olhar de surpresa meu não sei porquê. À porta de sua casa, em volta de onde se move, as árvores são “pés” que dão mangas, papaias ou cajus. Não está errado mas vamos lá às palavras começadas por “A”. Agora já é a árvore, o avião identificou à primeira (até achei mais estranho), a águia era um catcho (pássaro em crioulo) e a ambulância um carro. Nada de grave. As dificuldades iniciais da Maira em identificar os desenhos nos livros são fáceis de explicar e muito compreensivas. Alguns objectos ela nunca viu mesmo, muitos conhece-os com outros nomes, e torna-se mais difícil identificar bonecos que representem coisas reais, quando não se tem contacto com bonecos ou livros.
Claro que as crianças na Europa são muito espertas desde pequenas, sabem tudo, dizemos. Têm livros desde os seis meses, cheios de bonecos, cores e sons. Vêm desenhos animados desde os dois anos e aos quatro têm computadores portáteis que ensinam as letras e números em inglês. É bom que lá seja assim, é pena que aqui não haja um livro nem por cada 100 crianças.

Aqui por casa as lições continuam. O livro das vogais já foi todo visto e revisto, o dos números idem. O percurso foi mais ou menos o seguinte: identificar a letra ou o número, colar os autocolantes respectivos, pintar e escrever a letra ou o número. Agora é repetir, por vezes encontrar alguns materiais na net e imprimir. Encontrei por exemplo estes blogs:
Espaço Educar
Coisas da Ana Paula
Desenhos Download

Agradeço se souberem de mais.

Para além dessas actividades a Maira aqui já viu um pouco de televisão. Disse-me que o pai de uma vizinha tem e que às vezes vê novela. Os primeiros bonecos que viu aqui em casa não eram nada apropriados. O Noddy salva o Natal tem o Natal, a neve, os presentes. Demasiadas diferenças mas a música do Abram alas pró Noddy entra no ouvido.
Por outro lado, um destes domingos vimos A ilha das cores. Isso sim, e fez-me pensar na Rua Sésamo. Por isso não posso deixar de fazer o pedido. Se tiverem materiais destes programas ou semelhantes que possam ser divertidos ao mesmo tempo que educam por favor enviem-mos.
Porque este post já vai longo e há mais de uma hora que amanhece e que o galo canta, volto ao trabalho e conto mais logo o 1º dia de escola da Maira.

9 comentários:

alecrim aos molhos disse...

Ana,
há muito tempo que leio o seu blog e gosto muito.
Tivemos algumas vezes juntas aí na Guiné , também eu passei por aì nas muitas visitas que fiz ao meu marido que aí trabalhava.

O que está a fazer por esta menina é muito bom.

Tenho algumas cassetes da Rua Sesamo , filmes infantis que lhe posso enviar e um jogo de apredizagem de letras. Diga-me por favor se quer e como lhe posso enviar.

Um grande abraço , muito boa continuação .
...com muitas saudades da Guiné-Bissau,

Clara

Antonio Resende disse...

Muito embora sendo uma gotícola no Oceano, é um trabalho, dedicação e amor que é justo realçar.
Parabéns A C.

MEB disse...

Ana,
Parabéns. Sinceramente. Que post tão conseguido: uma história verídica, actual. Contada com ritmo,veracidade e entusiasmo. Parece o começo de um livro. Desejo o sucesso de Maira e que continue no deslumbramento pelas novas descobertas.
Se tentar a RTP- programas infantis-, Teresa Paixão penso que ainda está lá e, creio, é pessoa para a ajudar na sua missão. A Teresa é uma excelente profissional e pessoa.
Um beijo

laura disse...

parabéns! sabemos que é um trabalho lento, contudo muito gratificante. tenho um amigo guineense que visitará florianópolis em novembro e, pretendo lhe enviar algum material de alfabetização na sua volta.

bj

Sara Cabaço disse...

Olá minha querida,
é com muito gosto que digo que o teu blog tem matado as minhas grandes saudades de Bissau.
Hoje tirei um tempinho para te deixar um comentário.
Diz ao "tonto" do Osvaldo para te dar uma ajuda com a Maria. Claro que podes ensinar letra a letra mas hoje em dia é mais comum ensinar-se a ler a partir de uma palavra.
Pede ao Manel ou ao Osvaldo para te mostrarem os manuais de Alfabetização feitos pela Graça propositadamente para a Guiné.
Com falta de Rua Sésamo podes sempre tentar ver no youtube o enorme número de vídeos que eles têm disponíveis.
Não precisas dizer, eu sei... a Internet aí é uma vergonha, mas alguns são bem pequenos, não deves ter problema em conseguir vê-los.
Boa sorte,
beijo grande
com saudades dessa terra cor de saudade.

Ana Claudia disse...

Olá a todos,

Obrigada pelos vossos comentários e sugestões.

Clara há quanto tempo. Desde o meu 1º ou 2º ano aqui. As cassetes não q não temos leitor, mas o resto sim.

Quem quiser pode enviar-me para Ana Cláudia
Cooperação Portuguesa
Apartado 24
Bissau, Guiné-Bissau

Pedia o favor de me avisarem quando me mandarem alguma coisa pois é o apartado de outro projecto (consultem o blog que recomendo na lista "oficinas em movimento").

Laura, pode enviar esse material ou outros que receberei mas já temos um manual de alfabetização.

Sara, o Osvaldo e o Manel vão-me emprestar o manual. E já recebi do Osvaldo os conselhos para as primeiras sílabas. A net para vídeos continua a ser uma desgraça mas tem-me permitido arranjar muitas outras coisas. Obrigada pelo incentivo.

Entretanto decorreu a primeira semana de aulas da Maira e embora ainda não tenha arranjado tempo para contar a apreciação é muita positiva , pelo que penso que eu e Lena podemos descontrair quanto a certas preocupações.

MEB ainda não fiz o contacto mas vou fazer e se tiver resultados prometo que conto logo.

Beijinhos para todos

Carlos disse...

Cara Ana Cláudia,

Fico comovido com o seu post sobre a Maira! Bem-haja pelo seu esforço, o seu entusiasmo e o seu preciosíssimo contributo para um futuro melhor para essa terra! A Maira vai de certo ser um exemplo para outras Mairas, e outros meninos. Um abraço de solidariedade e admiração!
E um beijinho
Carlos Brighton

Lily disse...

Olá Ana,
Continuo atenta ao que escreve e à história da Mayra (trocamos mensagens por email por causa da Rdp África).
Posso ver alguns livros por aqui ou perguntar a uma amiga que dá aulas ao 1º ciclo, se achar boa ideia...Gostaria de poder ajudar estando deste lado...
Um beijinho e parabens pelo seu maravilhoso trabalho com a Mayra!

Aprendiz de Viajante... disse...

Estive na GB este verão durante 15 dias... andei por Bafatá, Buba, Senegal, Gâmbia, Bissau e Bijagós... foi bom rever o veludo, as ruas, a chuva e tantas coisas mais... obrigado por um regresso tão saboroso! :-)
Diogo Carneiro