quarta-feira, 23 de setembro de 2009

O FERIADO DA LUA

O Fim do Ramadão

Hoje foi o feriado da lua (21/09). Não o único mas um deles.

Terminou o mês do Ramadão, o nono mês segundo o calendário islâmico, um calendário lunar. Durante os últimos 30 dias os muçulmanos, que neste país se aproximam da metade da população, fizeram o jejum.
Foi das primeiras coisas que o Braima me disse quando me foi buscar ao aeroporto: Braima stá no djumdjum.
Ana sabe o que isso significa. Significa que Braima quer bidon de iagu fresca todos os dias ao final do dia para levar quando for cortar o djumdjum.

O jejum começou a 22 de Agosto porque nessa noite apareceu a lua nova que indicava o início do mês do Ramadão.
Durante este mês os muçulmanos não comiam nem bebiam durante o dia, desde as 6H da manhã até às 19:15H. Não é só o não comer e beber, na verdade eles não podem engolir o que quer que seja, por isso lembro-me sempre que, neste mês (o do Ramadão e não o de Setembro), vemos frequentemente pessoas a cuspir, para não engolirem o próprio cuspo.

O dia que assinala o fim do Ramadão é um dia muito importante. Ter sido capaz de aguentar o sacrifício daqueles dias é uma prova de fé. E é um feriado em que as pessoas vão à mesquita pela manhã, usando as suas melhores roupas, se possível novas, juntam-se e comem e bebem o melhor que podem.

Fez-me lembrar o Natal ou a Páscoa à medida que fui percebendo os preparativos que eram feitos.

O Braima quis um sabador novo para estrear nesse dia, pelo que no sábado anterior fui ao Bandim comprar uma coisa que nunca tinha comprado na vida.

Hoje o Braima apareceu passava pouco das 10H da manhã. Já tinha ido à mesquita e vinha orgulhosamente mostrar o seu novo traje, o seu novo tapete de oração e pedir postal.
As fotos vêm primeiro para aqui e só depois serão reveladas para lhe entregar.

Aproveito para lhe pedir alguns esclarecimentos, já que o Saliu e o Serifo vieram pedir apoio para ficarem a assistir à partida da lua na noite de 5ª para 6ª.

É a noite de mancida, explica. Mancida de ficar a ver amanhecer. O Dafé explicou-me mais tarde que também se chama Laylat al Kadr, e que laylat é noite em árabe. Na noite do 26º para o 27º dia do jejum a lua (minguante) desaparece por completo e os muçulmanos despedem-se da lua que significa o princípio do fim do Ramadão. As duas ou três noites seguintes serão de completa escuridão, é de descanso, dizem. E só na 29º ou 30º noite aparece a LUA NOVA que assinala então o fim do Ramadão e do jejum. É feriado!

Digo, animada, que hoje é dia de comer muito mas Braima responde apenas: “se pode”.

Na casa da família do Dafé pode-se. Passo por lá um bocado em resposta ao amável convite para a festa de fim de Ramadão e aprendo um pouco mais sobre o feriado, o Alcorão e o árabe. Não me demoro pois demorado foi o caminho para ir ao e vir do Bairro de Antula.

Mais tarde passo pela maior e mais bela mesquita de Bissau, onde Braima vai fazer oração, frente ao Hospital 3 de Agosto, na Avenida.


Aparecem uns meninos nos seus novos sabador a pedir festa e troco a festa por mais um postal de mais um dia diferente.

Bom feriado
e
Salam Aleikum
(Que a paz esteja sobre vós / convosco)

4 comentários:

Mónica Lice disse...

Saudades de um feriado que não tinha dia certo de chegar e que nos deixava sempre com um sorriso no rosto, contaminados, talvez, pela alegria que, nesse dia, todos os guineenses sentiam e partilhavam!

Invasão Bárbara/Dicas de Moda disse...

Oi querida obrigada pelo o carinho no meu blog, adorei seu post, vou segui-la

GOSTO DE FAZER ARTE disse...

Olá
Gostei mto do blog. É bom que haja blogs dessa natureza, pois assim vamos conhecendo as realidades de outros países. Enquanto cá na Europa presenciamos um consumismo desenfreado. Vou adicionar ao meu blog. Beijos e fica bem.
Mércia

Anónimo disse...

bom comeco